Amifampidina (Dosagem)

A amifampridina é um medicamento inibidor do canal de potássio utilizado no tratamento de síndromes miasténicas como a síndrome de Lambert-Eaton. Os polimorfismos no gene NAT2 podem determinar as concentrações plasmáticas do fármaco e a sua genotipagem pode ser útil para o ajuste adequado da dose.

A amifampridina é uma droga que atua no sistema nervoso e é usada no tratamento sintomático da síndrome miastênica de Lambert-Eaton.

MECANISMO DE AÇÃO

A amifampridina bloqueia os canais de potássio dependentes de voltagem ao prolongar a despolarização da membrana celular pré-sináptica, favorecendo assim a entrada de cálcio na terminação nervosa. O conseqüente aumento intracelular nas concentrações de cálcio facilita a exocitose de vesículas contendo acetilcolina, que por sua vez aumenta a transmissão neuromuscular. O resultado é um aumento na força muscular e nas amplitudes do potencial de ação muscular em repouso.

CONTRA-INDICAÇÕES

Hipersensibilidade à amifampridina, pacientes epilépticos; pacientes com asma não controlada; pacientes com síndromes congênitas do intervalo QT cardíaco.

A amifampridina é contra-indicada em concomitância com a sultoprida, com medicamentos que podem prolongar o QTc e com medicamentos com margem terapêutica estreita.

Não use amifampridina durante a gravidez. Não deve ser usado durante a lactação, pois não se sabe se a amifampridina é excretada no leite materno humano.

CUIDADOS

Devem ser tomadas precauções ao prescrever amifampridina em pacientes com insuficiência hepática ou renal. Cuidado em pacientes com risco de convulsões epilépticas: se ocorrer uma convulsão, interrompa o tratamento com amifampridina imediatamente. A monitoração clínica e eletrocardiográfica deve ser sempre realizada no início do tratamento e, a seguir, uma vez por ano. A amifampridina não é recomendada para o tratamento de crianças menores de 18 anos, pois não há dados de segurança e eficácia.

EFEITOS COLATERAIS

Parestesias periféricas e periorais; dor epigástrica, diarreia, náusea, dor abdominal; distúrbios do sono; convulsões, ansiedade, tontura, fraqueza, fadiga, dor de cabeça, coreia, mioclonia; visão embaçada; distúrbios do ritmo cardíaco, palpitações; Síndrome de Raynaud, extremidades frias; tosse, hipersecreção brônquica, crise de asma em pacientes asmáticos ou com história de asma; elevação das transaminases.

INTERAÇÕES FARMACOLÓGICAS

A amifampridina aumenta o risco de convulsões com: antidepressivos (tricíclicos, inibidores seletivos da recaptação da serotonina), neurolépticos (fenotiazinas e butirofenonas), mefloquina, bupropiona, tramadol. A amifampridina aumenta o efeito dos inibidores diretos ou indiretos da colinesterase e diminui o efeito de ambos os inibidores se a amifampridina for administrada concomitantemente com: mivacúrio, pipercúrio, suxametônio. Precauções extremas quando administradas concomitantemente com drogas que são eliminadas pelo metabolismo ou secreção ativa.

NOME DA MARCA

  • Firdapse®

Genes analisados

NAT2
O teste de DNA que você estava procurando
Comprar