Fesoterodina (Dosagem)

Fesoterodina é um medicamento anti-muscarínico utilizado para tratar a síndrome da bexiga hiperactiva. A presença de polimorfismos no gene CYP2D6 influencia a farmacocinética do fármaco, pelo que conhecer o "estado metabólico" do indivíduo pode ajudar a conseguir um melhor ajustamento da dose.

A fesoterodina é usada para tratar a bexiga hiperativa (uma condição em que os músculos da bexiga se contraem de forma incontrolável, causando micção frequente, necessidade urgente de urinar e incapacidade de controlar a micção). A fesoterodina está em uma classe de medicamentos chamados antimuscarínicos. Ele age relaxando os músculos da bexiga para evitar a micção urgente, frequente ou incontrolável.

MECANISMO DE AÇÃO

A fesoterodina é um antagonista competitivo específico dos receptores muscarínicos. É rápida e extensivamente hidrolisado pelas esterases plasmáticas dando origem ao derivado 5-hidroximetil, que é o principal metabólito ativo e o principal responsável pela ação farmacológica.

CONTRA-INDICAÇÕES

Hipersensibilidade a fesoterodina, retenção urinária, retenção gástrica, glaucoma de ângulo fechado não controlado, miastenia gravis, insuficiência hepática grave, colite ulcerativa grave, megacólon tóxico.

Não prescreva fesoteridona ou monitore de perto seu uso se usado concomitantemente com inibidores fortes do CYP3A4 em pacientes com insuficiência renal ou hepática.

CUIDADOS

Cuidados devem ser tomados quando o paciente apresenta obstrução significativa da via de saída da bexiga, com risco de retenção urinária; distúrbios obstrutivos gastrointestinais (estenose pilórica); refluxo gastroesofágico e / ou que consomem substâncias (bifosfonatos orais) ao mesmo tempo que podem causar ou agravar a esofagite; diminuição da motilidade gastrointestinal; neuropatia autonômica; glaucoma de ângulo fechado controlado; pacientes com risco de prolongamento do intervalo QT cardíaco (hipocalemia, bradicardia e administração concomitante de medicamentos que prolongam o intervalo QT), doenças cardíacas relevantes preexistentes (isquemia miocárdica, arritmia, ICC); hiperatividade do detrusor de origem neurogênica.

Deve-se ter cuidado ao prescrever ou ajustar as doses em pacientes com insuficiência hepática ou renal que estejam tomando fesoterodina concomitantemente com inibidores fortes ou moderados do citocromo CYP3A4 ou inibidores fortes do CYP2D6. O uso concomitante com um forte indutor do CYP3A4 (carbamazepina, rifampicina, fenobarbital, fenitoína, erva de São João) não é recomendado.

A Fesoterodina não é recomendada para crianças e adolescentes menores de 18 anos.

Há risco de angioedema, se parecer, pare o tratamento com fesoterodina e administre imediatamente um tratamento apropriado.

Seu uso não é recomendado durante a gravidez e lactação porque não existem dados de toxicidade.

INTERAÇÕES FARMACOLÓGICAS

A fesoterodina reduz o efeito da metoclopramida.

Cuidado quando a fesoterodina é coadministrada com outros antimuscarínicos e substâncias que possuem propriedades anticolinérgicas (por exemplo, amantadina, antidepressivos tricíclicos, certos neurolépticos), pois isso pode levar a um aumento do efeito terapêutico e reações adversas.

A concentração plasmática de fesoterodina é aumentada por: inibidores fortes do CYP3A4 (por exemplo, atazanavir, claritromicina, indinavir, itraconazol, cetoconazol, nefazodona, nelfinavir, ritonavir (incluindo qualquer tratamento com inibidor da protease potenciado com ritonavir), saquaniviricina) e .

A concentração plasmática de fesoteridona é diminuída por: tratamento com indutores do CYP3A4 (por exemplo, carbamazepina, rifampicina, fenobarbital, fenitoína, erva de São João). O uso concomitante não é recomendado.

A administração concomitante com um inibidor forte do CYP2D6 pode resultar no aumento da exposição à fesoterodina e reações adversas. A redução da dose para 4 mg pode ser necessária se administrada com inibidores fortes do CYP2D6.

EFEITOS COLATERAIS

Tonturas, dor de cabeça, olho seco, garganta seca; boca seca, dor abdominal, diarreia, dispepsia, obstipação, náusea; disúria; insônia, rouquidão, dor nas costas.

Existem outros efeitos colaterais mais graves, mas menos comuns, como: inchaço da face, garganta, língua ou lábios e dificuldade para engolir ou respirar. Se você tiver algum desses sintomas, pare de tomar fesoterodine e vá ao serviço de emergência.

NOME DA MARCA

  • Toviaz®

Genes analisados

CYP2D6
O teste de DNA que você estava procurando
Comprar